Você está em: Início Novidades

Candidato deve começar a se preparar para o concurso mesmo sem o edital

22/06/2016

No Brasil, o total de servidores públicos no país representa entre 11% e 12% do total de empregos.

Para conseguir conquistar uma vaga na administração pública é preciso se preparar o quanto antes. O jornal CORREIO conversou com o professor de Direito Administrativo, André Dorea, que deu dicas importantes para aqueles que sonham ter estabilidade no emprego e uma melhor remuneração. Confira:  

(Foto: EBC)

Quais os concursos mais aguardados para 2016?
Por ano são vários concursos tanto nas áreas federais e estaduais, como também nas municipais em todo o país. Só na área federal existem vários concursos com pedidos encaminhados ao Ministério do Planejamento e Orçamento, como para o cargo de policial rodoviário federal, agente técnico administrativo do Ministério da Fazenda, auditor da Receita Federal, analista da Receita Federal, Abin (Agência de Inteligência), Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT),  CGU(Controladoria-Geral da União), Caixa Econômica Federal entre outros cargos  do poder Executivo. Além desses, aparecem os tribunais, sejam tribunais regionais eleitorais, do Trabalho, tribunais regionais federais, onde acontecem concursos praticamente o ano inteiro.

E para quem já está pensando em 2017, o que esperar?
A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) divulgou um estudo mostrando que no caso do Brasil, o total de servidores públicos no país, incluindo os empregados das empresas estatais, representa entre 11% e 12% do total de empregos. Ou seja, estamos muito abaixo da nossa provável necessidade. Vivemos num estado mínimo. O Estado não pode deixar de fazer concursos. Primeiro, porque aumentando a população há necessidade de suprir necessidades.  Além do que, muita gente que hoje está no serviço público está próximo a se aposentar, uma realidade de todos os órgãos públicos. 

Sendo um ano de eleições, este é um ponto que pode desestimular muitos candidatos?
Os concursos podem ocorrer a qualquer tempo, mesmo em período de eleições. Pela legislação não há impedimento para a realização de processos seletivos no período que antecede ou mesmo durante as eleições. A nomeação dos aprovados é que tem de observar as regras legais: se o concurso tiver sido concluído/homologado no prazo de até três meses antes das eleições, as nomeações poderão ser feitas em qualquer data, até na véspera do pleito. Já as nomeações de aprovados nos concursos homologados com menos de 90 dias antes do pleito só poderão ocorrer após a posse dos eleitos, em 1º de janeiro do ano seguinte à votação. Temos que lembrar que a restrição se refere à esfera em que ocorre a eleição. Neste ano, teremos eleições municipais, não afetando as esferas estaduais e federal.

Quais as dicas para quem está desempregado e resolveu estudar para concurso?
Começar a se preparar de imediato, com vontade e dedicação. O candidato deve saber que é necessário estar preparado, independente da publicação do edital. Uma vez preparado, o concurso aparece. A ideia de querer só estudar quando o edital for publicado, nem sempre será possível para concursos  da Receita Federal e Polícia Federal, em que a preparação necessita de, no mínimo,  8 a 12 meses.

 

Fonte  : correio 24 horas.

 

Ver todas as novidades