Você está em: Início Novidades

Déficit de Delegados afeta funcionamento da Polícia Federal

20/09/2016

Associação dos Delegados de Polícia Federal informa que o órgão pode perder 400 servidores
 


Durante o 1º Fórum Nacional de Concursos Públicos, realizado no mês de agosto em Brasília, o presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), Carlos Eduardo Sobral, alertou sobre a urgência da preparação do concurso público para delegado, planejado pela Polícia Federal (PF).

Sobral informou que 400 delegados deverão se aposentar nos próximos anos, sem contar as 491 vagas que estão desocupadas na carreira. “491 delegados a menos são, no mínimo, 800 operações a menos, porque cada delegado teria a capacidade de fazer duas por ano, não mais do que isso. Essa é a consequência”, observou o presidente.

Se a defasagem for confirmada, o número de operações que deixariam de ser feitas irá dobrar. Para Sobral, as chances do déficit se concretizar são grandes, pois com a discussão da reforma de previdência e a possibilidade do fim do abono de permanência, os beneficiados se aposentariam.

 

PROTEÇÃO DA FRONTEIRA PREJUDICADA POR CAUSA DO DÉFICIT


Outro ponto preocupante destacado por Sobral é a ação do governo federal de restringir investimentos no setor público, incluindo os concursos. A consequência dessa política é a desestruturação do serviço público, que perde a qualidade. “E a maior prejudicada é a sociedade brasileira”, constatou.

Um exemplo é o caso da própria Polícia Federal. “Com menos vamos fazer menos. Nos cobram a proteção da fronteira. É impossível proteger a fronteira brasileira com o quadro de pessoal que nós temos hoje”, advertiu o presidente da ADPF.

A falta de recursos para o investimento em tecnologia também atrapalha na proteção do território. Sobral apontou que não há como fiscalizar e controlar com excelência, como poderia ser feito, em razão da falta de efetivo.

Sobral afirma que a PF tenta esconder o processo de involução sofrido nos últimos anos. “Hoje, qualquer intimação chamamos de operação. Qualquer ação ordinária vira operação. O que é para mascarar o número e falar que hoje fazemos mais operações do que fazíamos há cinco anos. O que é mentira”, disse.

 

CONCURSO DELEGADO E PERITO POLÍCIA FEDERAL


O novo concurso público que a Polícia Federal vem planejando, além de beneficiar o cargo de delegado (491 vagas), também trará a carreira de perito (67).

Para concorrer ao cargo de perito, é necessário ter nível superior em áreas específicas e, para delegado, superior em direito, com pelo menos três anos de atividade jurídica ou policial, comprovados na data da posse. Atualmente, os vencimentos das funções são de R$17.288.

O Congresso Nacional deverá confirmar um reajuste para as funções, que será feito de forma escalonada. Em 2018, delegados e peritos passam a ter vencimentos de R$23.130, subindo para R$24.150 em 2019.

Já estão inclusos em todos os valores a quantia de R$458 referente ao auxílio-alimentação.

 

ÚLTIMO CONCURSO PERITO E DELEGADO POLÍCIA FEDERAL


Os últimos concursos para perito e delegado da Polícia Federal foram realizadas em 2012, organizadas pelo Cespe/UnB.

Para perito, o concurso contou com provas objetiva e discursiva, testes de aptidão física, exame médico, avaliação psicológica e análise de títulos. A parte objetiva contou com 120 questões de múltipla escolha, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. Os aprovados em todas as fases foram submetidos a um curso de formação profissional.

No caso de delegado, a seleção contou com provas objetiva e discursiva, exames de aptidão física, exame médico, avaliação psicológica, análise de títulos e prova oral, além do curso de formação. A parte objetiva contou com 120 questões e a discursiva com três questões dissertativas, além da elaboração de uma peça profissional.  

Na ocasião, foram registrados 35.800 inscritos para 100 vagas de perito e, para delegado, 46.633 participantes para 150 oportunidades. Para as vagas de perito, as opções foram para áreas de ciências contábeis ou econômicas, engenharia em diversas especialidades, ciências da computação, geologia, química, biomedicina, medicina, odontologia e farmácia.

Fonte: Central dos Concursos

Ver todas as novidades