Você está em: Início Novidades

IBGE: SAIU AUTORIZAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE ATÉ 82 MIL TEMPORÁRIOS

14/12/2015

O Ministério do Planejamento autorizou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a contratar, temporariamente, até 82.023 pessoas, visando à realização do Censo Agropecuário 2016. Segundo a portaria de autorização, publicada no Diário Oficial da União (DOU) nesta segunda-feira, dia 14, a seleção ocorrerá por meio de processo seletivo simplificado, e os contratos terão validade de um ano, com possibilidade de prorrogação por três. 
 
Desta vez, foram autorizadas 223 vagas de analista censitário, 486 de agente censitário regional, 700 de agente censitário administrativo, 5.500 de agente censitário municipal, 12.540 de agente censitário supervisor, 174 de agente censitário de informática e 62.400 de recenseador. Veja a portaria de autorização no anexo abaixo.
 
Segundo a Assessoria de Imprensa do IBGE, os requisitos serão os mesmos dos concursos anteriores. Sendo assim, para concorrer a recenseador será exigido o nível fundamental completo. Para agente censitário, os candidatos precisarão ter o nível médio. Já para analista censitário, formação superior. As vagas serão distribuídas por todo o país. A expectativa é de que a distribuição das oportunidades pelos estados seja divulgado em breve, bem como as remunerações. O próximo passo do IBGE agora será definição da organizadora do concurso. A expectativa é de que o edital possa ser divulgado ainda no primeiro semestre de 2016.
 
Tendo por base as seleções anteriores, é possível ter uma noção de como ocorrerá o novo processo seletivo. A última seleção para agente censitário regional, administrativo, municipal, supervisor e de Informática ocorreu em 2009. As remunerações eram de R$760 para o agente administrativo, de R$900 para o supervisor e de informática, de R$1.150 para o municipal e de R$1.600 para o regional. À época, foram oferecidas, no total, 33.012 vagas.
 
Já o último processo para recenseador, ocorreu em 2010, quando foram oferecidas 191.972 e exigido o nível fundamental completo. Nesse ano, a fundação registrou mais de 1 milhão de inscritos. A remuneração oferecida foi por produção, calculada por setor censitário, conforme taxa fixada e de conhecimento prévio pelo recenseador, com base nas quantidades de unidades recenseadas (domicílios urbanos e/ou rurais), pessoas recenseadas e registro no controle da coleta de dados.
 
Os candidatos a agente foram avaliados por meio de prova objetiva, composta por 40, 50 ou 60 questões, dependendo da especialidade disputada. As disciplinas cobradas também variam. Houve questões sobre Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico, Noções de Administração, Conhecimentos Técnicos e Noções de Informática. Os concorrentes a recenseador, por sua vez, responderam a 50 questões sobre Língua Portuguesa (dez), Matemática (dez), Conhecimentos Gerais (dez) e Conhecimentos Técnicos (20).

Fonte: Folha Dirigida

 

Ver todas as novidades